junho 09, 2010

ACREDITAR - Enquadramento no clube

Saudações ao pessoal,

Chegado o defeso, na minha opinião, mais interessante do que debater se vem este ou aquele, se é um ou dois, se sai o gr ou o defesa, é saber, o pulso da nação Benfiquista, pois a missão do adepto é para quando há jogos a sério, para o apoio efectivo às nossas equipas.
É nessa altura, em que nos revemos ou não nas conjecturas que fizemos para determinada época, ou confiamos e acreditamos mais ou menos consoante os resultados que vamos obtendo.
Há um misto de razão e emoção, não podemos ser pessimistas, só pela forma como os dirigentes abordam o mercado e o plantel, nem devemos ser optimistas extremos, pois não há nada que garanta titulos, mesmo que sejam os mesmos jogadores na próxima época.
Temos que ir fazendo o nosso papel fim de semana, após fim de semana....APOIAR!

Se bem que nesta época que aí vem isso possa ser mais fácil do que em anos anteriores saídos de impronunciáveis lugares que não o primeiro.

Vou aproveitar a pausa que as competições nos proporcionam e fazer o "meu" exercício de história sobre o SL Benfica.

Nos últimos anos da década de 70, embora fosse muito influenciado para ser adepto de "os Belenenses", não conseguia tirar os olhos nem das fotografias, nem dos cromos, nem das caricas (alguém se lembra?) com a cara dos craques da altura do SL Benfica, não sei porquê, nem como, só me sentia feliz, se fosse, ou jogar pelo Benfica ou a coleccionar coisas do Benfica.

Já nos anos 80, consegui ver ao vivo aquela equipa que foi à final da UEFA e ganhava que se fartava, do Bento, Chalana, Carlos Manuel, Diamantino e tantos outros que nos deliciavam com bom futebol.

Claro que como adolescente nem me apercebia para onde caminhávamos, nem as minhas ideias eram só futebol, não ligava muito, muito menos na década de 90, onde tinha outras prioridades além futebol.

Começo no entanto a notar já em 1997 ou 1998, não sei bem precisar, que o "nosso" Sport Lisboa e Benfica, já não GANHA tantas vezes como eu estava habituado. Começo nessa altura a tentar perceber porquê, visto que na comunicação social, passa a ideia que só não ganhamos, porque os jogadores que temos não prestam, e era em parte verdade, tirando 1 ou 2 excepções, não tinhamos aquelas equipas demolidoras que costumavamos ter, tinhamos dirigentes estilo Queiróz, que parece que são os ventrilucos de alguém.

Começo a ficar preocupado com o insucesso do clube, e tento apoiar mais do que efectivamente apoiava.
Vou a jogos no velhinho estádio da Luz, que outrora fora imponente, mas que me doia a alma de o ver a cair aos bocados naquela altura, sem equipa, sem instalações de jeito... e perguntava, o que será de nós?

Bem felismente, salvo erro em 2000, Manuel Vilarinho, numas eleições em Outubro, faz-me ficar acordado até às 5 horas da manhã, só para ter a certeza que era ele o novo Presidente do SLB e não o outro "artista"...já não bastava sofrer com os jogos que via, dei por mim a sofrer, com coisas do clube sem ser os jogos oficiais.

Nesta última década tenho acompanhado mais de perto o percurso do nosso clube, tenho muito mais informação que tinha, e hoje em dia, existe muito mais fontes de informação que havia antes, por isso posso fazer um exercicio baseado em décadas e não em ápocas avulsas como esta que passou.

O objectivo tem por finalidade "esclarecer" os Benfiquistas, para que não se sintam defraudados das suas expectativas e ambições.

Depois do SL Benfica ter se tornado Campeão Europeu (anos 60), e ter crescido muito mais do que a pequenez do nosso território e mentalidade, tendo-se tornado num clube muito maior do que o "piqueno" Portugal, julgo que nesta altura é que os adversários começaram a ter a noção dos anos luz de distância que tínhamos em relação a eles e procuraram encurtar distâncias, que temos vindo a observar.

A década de 70 é precisamente a altura em a transição se dá no futebol em Portugal, embora o SL Benfica continue a GANHAR, o 25 de Abril proporcionou outro tipo de absolutismos e autocracias, dando lugar ao fartar vilanagem que não sabemos se alguma vez irá acabar.
Muito também por culpa própria, pois devido às conquistas europeias, os dirigentes do SL Benfica, não foram empreendedores o suficiente para prevenir o que se veio a passar.

Na década de 80, nós ainda tinhamos equipa, e mesmo com o polvo já em acção ainda deu para GANHAR tanto como os outros todos juntos.

Já na década de 90 e com a Lei bosman e a criação da liga de clubes, o poder no futebol rumo a norte e o SL Benfica, foi engolido por tiros nos pés, vaidade pimba, e dirigismo de mercearia.

Foi com Manuel Vilarinho 2000 (que também deu e continua a dar tiros nos pés, ao despedir Mourinho e a ter tiradas pouco sóbrias) que se começou a virar outra vez, desta vez para melhor e não simplesmente fugir para a frente ou esquecer os problemas e as dívidas acumuladas.

Só que se o nosso desejo é que fosse o mais rapidamente possivel, a nossa estrutura (equipas/instalações, mais tiros nos pés) aliado à máquina adversária montada oleada e bem remunerada (dinheiros de vendas e participações na liga dos campeões), ajudou a dificultar a nossa tarefa de nos voltarmos a erguer.

Conseguimos ter um titulo em 2005, e não faltando nunca à verdade, foi um campeonato merecido, mas que foi nivelado por baixo, não jogávamos como este ano que passou, foi mais sofrido, e essa conquista, foi completamente arruinada pela visão pouco profunda dos nossos dirigentes, que preferiram desmantelar o 11 e ir às compras na loja dos 300.
Tudo bem, ninguém morre por isso, mas há uma coisa muito importante, o adepto do Sport Lisboa e Benfica, é adepto do clube, por muitas razões, mas há uma delas que é comum a TODOS, o de NUNCA se cansar de GANHAR, a de querer sempre GANHAR.

Por esta mal investida no mercado e abordagem à competição interna, ficamos 4 anos à espera...

Este anos voltamos a GANHAR (2010), vamos lá a ver se até ao inicio das competições não esfrangalham a equipa de TODOS nós, para então aferirmos a real possibilidade de GANHAR mais. Temos que esperar para ver, mas acho que entramos noutra fase da nossa história, pois com o investimento feito em estruturas e jogadores, no ecletismo do clube, muito mais importante que alguns pensam ser, podemos finalmente dedicar-nos ao core-business do clube "jogar SEMPRE para GANHAR".
Não há desculpa para desivestimento, nem para afrouxar a dinâmica das nossas equipas, temos agora que o betão está seco, assegurar a competividade de TODAS as nossas equipas, seja futebol ou modalidades, seja formação, seja o que for, temos que vincar muito bem a nossa posição nos próximos anos, e julgo termos finalmente alguém que quer tanto GANHAR como nós adeptos (Rui Costa), finalmente no lugar certo.

Os outros, bem os outros como se pode ver, até com uma pré-época endiabrada os enfraquecemos, o mote está dado, GANHAR, GANHAR, GANHAR, só assim podemos ir enfraquecendo e diminuindo todas as hipoteses de nos tentarem derrubar sem ser em campo, pois a nossa equipa cresce proporcionalmente à queda dos outros e vice-versa.

Embora as artimanhas e os esquemas vão continuar, temos que ainda melhorar os nossos grupos de trabalho, para que exista cada vez menos hipoteses de nos surpreenderem.

O Benfiquista não pode ir só pela componente racional, tem que se deixar levar também pela perte emocional, tem é que haver um equilibrio.
No meu caso até depois daquele resultado em Vigo, e com 1-1 no jogo da 2.ª mão aos 89 minutos de jogo eu ainda acreditava no apuramento da nossa equipa, então depois desta brilhante época que fizemos, ACREDITO muito mais.

Não se esqueçam, nós jogamos SEMPRE para GANHAR, seja qual for o adversário.

2 comentários:

Manuel Oliveira disse...

Bom post amigo Santana! Concordo em absoluto.
Abraço glorioso.

JVG disse...

Ai as caricas. Tirava-se a cortiça da parte de dentro a uma para encher a outra, à qual se forrava com papel que era depois pintado de vermelho com os números e nomes dos jogadores.
Depois era só jogar contra os outros.
Belos tempos.
Saudações.